A1BA67D6-B7F5-4EE9-B96E-A3C6C6A729C2TIM banca virtual
99BC25CD-9209-40C8-AC3C-7870EBF636C3

Publicado em 19 de janeiro de 2022

Cidade Integrada: projeto planejado para o Jacarezinho há meses tem pedido de compra emergencial de câmeras de monitoramento

A operação policial desta quarta-feira de ocupação do Jacarezinho, na Zona Norte do Rio, teve, na sua preparação, um estudo técnico que prevê a instalação de 22 câmeras de segurança e um sistema de videomonitoramento para apoio durante as ações de inteligência da polícia. No entanto, o pedido foi feito apenas seis dias antes da ocupação, no dia 13 de janeiro, em caráter emergencial, com dispensa de licitação. A ação faz parte da primeira fase do projeto Cidade Integrada, do governo estadual, que prevê ações de transformação com implementação de projetos permanentes em favelas do Rio, entre elas Muzema, da Tijuquinha e do Morro do Banco, na Zona Oeste, além do próprio Jacarezinho.

O custo médio mensal do projeto para o Jacarezinho foi estimado em R$ 164.429,00, com previsão de serem utilizadas durante três meses.

Segundo o estudo feito pelo governo estadual, a contratação da empresa será importante para apoiar o processo de ocupação e pacificação e dar passagem aos demais serviços públicos que serão ofertados à população. O documento cita aumento de oportunidades, cursos de capacitação e estações de entretenimento e lazer como metas a serem implantadas.

Deverão ser utilizadas visualização em tempo real, câmera com infravermelho, detecção facial e reconhecimento de placas de veículos. Além disso, todas as imagens captadas pelas câmeras deverão ficar armazenadas por, no mínimo, 60 dias a partir da data de sua captura.

O estudo destaca que o serviço de videomonitoramento será feito para conter e evitar atentados contra os agentes e outros cidadãos que "venham a sofrer qualquer tipo de violência". O prazo de três meses foi determinado pois acredita-se que esse prazo seja suficiente para concluir a operação. Porém a contratação será realizada por seis meses, já que o governo crê que possa haver "situações não previstas no planejamento".

A empresa a ser contratada será escolhida pelo critério de menor preço apresentado. As câmeras deverão ser instaladas nos seguintes endereços:

No Pavão-Pavãozinho, reforma do prédio do Poupatempo

Há informações de que também haverá ações ainda nesta quarta-feira em Manguinhos, Mandela e Bandeira 2, todas na Zona Norte do Rio. Ao ser anunciado pelo Governo do Estado, em novembro do ano passado, o programa Cidade Integrada, previa um projeto dividido em três etapas, abrangendo também as favelas: Maré (Zona Norte); Pavão-Pavãozinho e Cantagalo (Copacabana e Ipanema); e Rio das Pedras (Zona Oeste).

Nas comunidades do Pavão-Pavãozinho e Cantagalo está prevista, entre outras intervenções, a recuperação do prédio em que funcionava o Poupatempo Cantagalo, localizado à Rua Barão da Torre, e adaptação do mesmo para abrigar dois projetos sociais: a Casa de Idosos e o Centro da Mulher. Além do prédio, também devem ser recuperadas a torre do elevador e a passarela, deteriorada e precisando de reparos e tratamento.

Neste outro documento, de setembro do ano passado, o governo estadual aponta o programa Cidade Integrada como "forma de integração entre bairros formais e informais através de investimentos em infraestrutura, melhorias de espaços públicos, garantia de acessibilidade, construção e reforma de equipamentos públicos, reforma de unidades habitacionais e ações sociais, de segurança pública e de investimentos em projetos que gerem emprego e renda", além do engajamento das comunidades.

Através destas iniciativas e investimentos, o governo aponta que o mesmo será um "fomentador de cidadania com potencial para melhora da qualidade de vida dos moradores, assim como na melhoria de espaços públicos de lazer e estar das comunidades e dos bairros vizinhos".

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar a sua experiência

Para saber mais sobre os cookies que usamos, consulte nossa política de privacidade.